A Participação da Mulher na Sociedade Brasileira – Voto Feminino.

Por Rosangela Arregolão 

Com a participação cada vez maior nos meios políticos, as mulheres continuam sendo em sua maioria, ainda nos dias de hoje, objeto de discriminação e são ameaçadas na surdina por presidente de partido político, ainda substimam sua capacidade intelectual, acham que ainda as intimidam. “Esquecem” que durante os últimos interminávies cem anos de luta pelo seus direitos conquistados não são esquecidos por elas. São os que prejudicam e limitam toda evolução junto a sociedade e a construção política

Encontro de Mulheres no PT

Por Rosangela  Arregolão


Ivanir Dornelles é a primeira suplente vereadora do PT da cidade, com o slogan “Que o mais simples seja visto como o mais importante” , teve 685 votos da população, assumiu como primeira vereadora de Várzea Paulista entre os dias 05 à 30 de outubro de 2009 substituindo o Presidente da Câmara Nei Lumes, nesses 25 dias conheceu um pouco a rotina de um veredor em seu pequeno gabinete que a Casa oferece. Ivanir conhecida como uma pessoa simples, porém importante para a comunidade, trabalhou no

As Trajetórias da Mulher e sua Participação na Sociedade Brasileira.

Por Rosângela Arregolão

No cenário nacional dos séculos anteriores, já se destacavam as figuras fenininas com seus maridos e filhos não só como incentivadores, mais, na atuação efetiva da vida do país em formação, na conquista da terra. Foi incontestavelmente no final do século XIX que o movimento de luta feminina para as conquistas dos direitos e auto-afirmação que lhe eram vedados se tornou intenso e tomou corpo. O século XIX, se reduz entre os anos de 1.900 à 2.000.
A mulher manteve um nível de inferioridade intelectual frente ao homem apesar do avanço técnico do progresso e do desenvolvimento das indústrias. A luta pela conquista que era de direito, foi lenta e penosa, pois precisavam utrapassar tantas barreiras, se tornaram cobaias de si própria para um mundo incerto. Lutando para a resolução de seus próprios problemas que ao fim, chegariam a alguma conclusão sobre seu destino, isso era certo. Dessa excelência, ainda bem e felizmente para todas nós, resultou na separação dos problemas, dos conceitos, das leis até então feitas somente pelas mãos dos homens. Agora nesse século, o XIX, os problemas das mulheres eram separados dos problemas dos homens. A humanidade deixou de ser uma, e passou a ser duas: de homens e mulheres. 
É fato que a mulher, é um ser de tríplice expressão: doméstica, intelectual, mãe, cívica, espiritual, física, ainda econômica e moral. Tanto para o homem e para a mulher, têm absolutamente iguais direitos e deveres no que diz respeito com a vida política-social, tende para os dois o que é lícito e bom para a vida do país em constante mutação, e na preservação da terra.

Participe: seu comentário e críticas são bem vindas.