Ainda tem muito lixo nas ruas da cidade.

Uma moradora há mais de 30 anos da Vila Popular da cidade de Várzea Paulista, indignada pela falta de planejamento, organização, e responsabilidade do prefeito Eduardo Tadeu Pereira, enviou-me várias fotos e seu triste relato da calamidade, desrespeito, descaso, enfim, coisas que seu bairro nunca tinha enfrentado antes.

"Tirando o mau cheiro da rua que ontem me fez vomitar afff a coisa ta feia!"
O que dá mais raiva Rosângela, é que eles colocaram um trator na madrugada para abrir as ruas, pois o lixo estava atrapalhando a passagem dos carros que algumas pessoas colocaram em protesto pela falta da colheita, só que mandaram só trator sem o caminhão para a retirada do lixo.

 A situação ficou muito pior, pois, os sacos estouraram, os lixos se espalharam; bichos, moscas, enfim; o cheiro ficou insuportável.

Pergunto: Porque o prefeito e os vereadores não se colocam em nosso lugar?

Quero usar esse meio para externar os meus sinceros parabéns!!! Só não sei se dedico essas palavras ao povo da Vila Popular, que para protestar contra a falta de coleta de lixo interditou as ruas com o lixo, ou à incompetência do prefeito da cidade para o desbloqueio da mesma, que mandou um trator que ao invés de remover o lixo como fez em frente da prefeitura, só empurrou o lixo para as calçadas nos portões das casas, e agora ninguém aguenta o mau cheiro, tem gente passando mal aqui, principalmente as crianças.

Valeu futuro ex-prefeito Eduardo Tadeu Pereira, obrigada por encher a frente da minha casa de lixo com os sacos rasgados,  Vamos lembrar do teu nome para sempre. Feliz ano novo! "


Então, não haverá mais lixo em Várzea Paulista.


O caminhão do lixo passou, não haverá mais lixo na  frente da prefeitura e nas ruas de Várzea Paulista.
Quero registrar que mais de 16 mil pessoas viram as fotos, aproveitar e agradecer a todos e todas que compartilharam, curtiram, e comentaram a postagem, lembrar que facebook é cultura, é manifesto, e funciona.
Postei algumas fotos dias atrás no facebook, mostrando os sacos de lixos desprezados na frente da prefeitura de Várzea Paulista, levados como protesto pelos moradores da cidade, indignados pela falta de responsabilidade do futuro ex-prefeito Eduardo Tadeu Pereira. 
Uns acham que foi ato político, outros cívico; eu fico com a opção do ato cívico.
O Prefeito Eduardo deve ter achado que por estar findando seu mandato, não precisava mais administrar, muito menos delegar. Incrível, "... como que se fosse combinado...", sumiram todos; nenhum vice-prefeito para providenciar a urgência, nenhum Maldonado para manobrar a providência, e o vereador também não tava lá. Parecia música do Raul Seixas "o dia em que a terra parou".
Um recado para o futuro ex-Prefeito Eduardo Eduardo Tadeu Pereira:
"Aqui em Várzea Paulista não tem só pobre e ignorante não; a cidade não é uma joça não; e aqui, você enverga sim, e se quebra sim!" Você se lembra dessas palavras?

Como dizem por ai,  - e tenho dito!

Rosângela Arregolão - Histórico Profissional.


Rosângela Fátima Arregolão
FORMAÇÃO ACADÊMICA
Pós-Graduada em Sistema de Gestão Integrado1 da Qualidade, Segurança e Saúde no Trabalho, Meio Ambiente e Responsabilidade Social – Senac/Jundiaí/SP., 2012.
Descrição: Especialista em analise e viabilidade, desenvolver e gerir projetos de implantação de Sistemas de Gestão Integrados (SGI) nas organizações. Conhecimento integrado sobre a qualidade, meio ambiente, segurança e saúde no trabalho e responsabilidade social. Visão crítica desses sistemas, capacidade de contribuir para sua implementação, avaliação, gestão e aprimoramento.
Graduada em Administração de Empresa2 – Faculdade de Ciências Gerenciais – Escola Internacional de Negócios & Business Center. Jundiaí/SP., 2010.

A 93 anos do assassinato de Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht


Este artigo é parte de um livro pouco conhecido chamado “Political Profiles” onde Trotsky traça os perfis dos principais dirigentes da II e III Internacionais.

Sofremos duas derrotas pesadas de uma só vez, que se fundem em um luto enorme.Dois líderes de nossas fileiras foram derrubados, cujos nomes serão para sempre inscritos no grande livro da revolução proletária: Karl Liebknecht e Rosa Luxemburgo. Eles pereceram. Eles foram assassinados.Eles já não estão entre nós!

O nome de Karl Liebknecht, embora já conhecido, imediatamente ganhou importância em todo o mundo desde os primeiros meses da horrível carnificina europeia.Ele soou como o nome da honra revolucionária, como uma promessa da vitória por vir.Naquelas primeiras semanas, quando o militarismo alemão celebrou sua primeira orgia e festejou seus primeiros triunfos demoníacos; nessas semanas, quando as forças alemãs invadiram a Bélgica arrasando os fortes belgas como casas de papelão; quando o canhão 420 milímetros alemão parecia ameaçar escravizar e dobrar todos os povos daEuropa perante Wilhelm; naqueles dias e semanas, quando os chefes alemães da social-democracia chefiada por Scheidemann e Ebert seu joelho dobraram seus patrióticos joelhos perante o militarismo alemão para o qual tudo, pelo menos ao que parecia, iria submeter-se - tanto o mundo exterior (Bélgica e o norte da França ocupados pelos alemães) e o mundo doméstico (não só o aristocrata alemão, não só a burguesia alemã, não só o chauvinista de classe média, mas também o partido oficialmente reconhecido da classe operária alemã); naqueles dias negros, terríveis e obscenos irrompeu na Alemanha uma voz rebelde de protesto, de raiva e imprecação; esta era a voz de Karl Liebknecht.E ressoou por todo o mundo!